É bom olhar para trás e constatar que produzi bastante em 2016! Tive uma entrevista publicada em um site de Música (“Independente da Música”); tive o EP “Esperança” incluído na programação da Rádio Estrada 55; pela primeira vez, vi um disco meu, o EP “Esperança”, ser resenhado em sites de Música (“Viver com Música” e “Galeria Musical”); me surpreendi ao saber que uma das faixas do EP, “O canto das trevas na boca do dia” (Arnoldo Silva), tinha sido executada em Nova York, na rádio WKCR 89,9 FM; vi o álbum de fotos “#MeuEPEsperança” crescer no Facebook, com o afeto dos ouvintes do disco; consegui reformular e modernizar o meu site; liberei, no Youtube, o making of da sessão de fotos do EP “Esperança”; passei 6 dias no Espírito Santo divulgando o EP em rádios e jornal (dessa vez, além de Cachoeiro de Itapemirim, pudemos fazer Muqui, Mimoso do Sul e Marataízes); me desafiei ao gravar 2 músicas em Cachoeiro de Itapemirim, para o CD do Arnoldo Silva; depois de 5 anos, voltei a ensaiar com banda; montei e ensaiei o show “Esperança”; fiz uma parceria de trabalho nova, tendo o Thiago Martins como o diretor musical do show; ganhei um novo baixista, o Marcelo Palheta; voltei a tocar com o baterista Robson Pontes, após o hiato de 5 anos; nos mesmos 5 anos depois, retornei à Rádio Catedral (106,7 FM, RJ) para conversar sobre o EP “Esperança” com o Pe. Ricardo Whyte; falei e cantei na televisão, no programa “Vem pra Baixada”, no canal Cinebrasil TV; decidi me simplificar e, assim, publiquei alguns vídeos no Instagram cantando a capella; busquei melhorar minha expressão de corpo em cena, então fui fazer aulas de preparação corporal com o bailarino André Bern; em um show do Arnoldo Silva, em Cachoeiro de Itapemirim (ES), pude me apresentar em um teatro da cidade pela primeira vez, em 9 anos de divulgações realizadas por lá; busquei novos formatos de trabalho: realizei um ensaio aberto no Play Rec Studios, no RJ e, em seguida, fiz uma transmissão ao vivo pelo Facebook, no Reuel Studios, com a ajuda do público para criar o roteiro; fiz esse Facebook Live para comemorar meus 10 anos de caminhada musical, que era uma meta que eu tinha desde o ano passado; publiquei, no Youtube, o primeiro vídeo do ensaio aberto, com qualidade profissional de som e imagem; cantei descalça (eu sempre tive esse desejo); consegui cantar, dançar e manter o controle da voz; soltei meu corpo no palco (graças ao André); descobri que eu gosto mesmo é de cantar com retorno de ouvido e com microfone sem fio; em 13 anos de cantorias, fiz as pazes comigo mesma ao me ver e me ouvir. Obrigada, Deus, pelo amadurecimento e pelas oportunidades; também pela força, pela coragem e pela direção que o Senhor me deu para caminhar e concretizar metas. #AmandaGarruthRetrospectiva2016

retrospectiva-2016

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *